{MANGÁ} Vitamin – Keiko Suenobu

229
“Quem não consegue se sobressair usando a cabeça… acaba apelando para meios mais primitivos de chamar a atenção.”

Sawako é uma estudante de 15 anos e assim como toda adolescente leva uma vida normal e tranquila com namorado e amigas, mas tudo passa a mudar depois de ser obrigada a fazer sexo com o namorado Kouta. Sawako sempre deu o seu melhor na escola, para poder entrar em um colégio bom no futuro e deixar sua família orgulhosa, mas com o fim da escola se aproximando, com ele vem as provas finais que não são nada fáceis.

Tudo está indo bem na vida de Sawako, até que um dia ela e o namorado Kouta ficam sozinhos na sala de aula para limpá-la; Sawako e Kouta já haviam feito sexo antes e isso não era um problema, mas Kouta se mostra outra pessoa quando se trata de sexo. Ao perceber que estavam realmente sozinhos, Kouta decidi tirar vantagem para cima de Sawako a forçando a fazer sexo, mesmo com a garota dizendo não, ele continua; o que Kouta não esperava é que alguém espiasse e visse a Sawako.

A partir daí, Sawako começa a sofrer bullying na escola, ela começa a descobrir que não tem mais amigas, que seu namorado nunca gostou dela de verdade e que a escola não poderia ajuda-la em nada. Tudo passa a desmoronar na sua vida, tudo que ela queria passa a não ser mais nada para ela, ela começa a parar de ir a escola, ficando trancada em seu quarto, não comendo mais; seu pai decidi não pressiona-la e sua mãe não aceita o que a filha está fazendo.

” – Mãe! Posso te perguntar uma coisa estranha? A sua primeira vez foi… com uma pessoa legal?
 – O importante não é o seu primeiro homem… Mas, sim, o último.”

Sawako descobre um antigo dom e um grande sonho e que para poder se salvar da depressão que o bullying  causou-lhe ela terá que escutar o seu coração e realizar os seus sonhos, gostando seus pais ou não.

Quando li a sinopse do mangá, fiquei super interessada para ler o mangá todo, por sorte ele é volume único e não tenho que comprar vários para saber o final. Keiko Suenobu nós mostra a realidade sobre o bullying, infelizmente ainda existe muito disse nas escolas. Sawako é uma personagem forte e nós da a “Vitamina” necessária para seguir em frente junto com ela; nós vemos várias fases do bullying no mangá, como começa, como a pessoa fica e até como pode terminar, mas Keiko nós mostrou como podemos superar tudo isso, mesmo que seja difícil. Deixo avisado que o mangá é para maiores de 18 anos, por conter hentai (cenas de sexo) e algumas partes bem fortes do bullying.

“Alguém disse que não existe noite que não amanheça. Hoje eu quero acreditar nisso.”

Uma das coisas bem legais do mangá, é que ao final a Keiko deixa uma nota e eu vou colocar aqui um pedaço para que todos parem e pensem um pouco antes de tentar qualquer coisa contra alguém e se ponha no lugar da pessoa.

  • Nota da Autora: “[…] Com relação à representação do bullying, há pessoas que podem pensar que isso é “maldade demais” ou que “não é realista”, mas estão acontecendo atualmente, no mundo real, tipos de bullying ainda mais cruéis do que os retratados neste mangá. Mesmo que a memória das vítimas se enfraqueça com o passar do tempo, elas continuam não podendo se libertar do terror da época. O lar é o único lugar para o qual as crianças que sofrem bullying na escola podem fugir. […] Acredito fortemente que, quando forçam você ao limite do desespero, sempre há algo que lhe dá luz. Pode ser um amigo, um professor, música ou livros é diferente para cada pessoa. No meu caso e da Sawako, a luz foi o mangá. […]”

  • Escrito por: Keiko Suenobu;
  • Volume: Único;
  • Editora: JBC;
  • ISBN: 978-85-457-0106-4;
  • Ano: 2015;
  • Páginas: 208;
  • Skoob: AQUI;

 

  • SINOPSE:

Sawako, uma estudante de 15 anos, levava uma vida escolar como muitas outras, sem maiores problemas. Até que certo dia, ela é flagrada com o namorado numa sala de aula por um colega de classe, e isso transformará a vida dela no verdadeiro inferno que é sofrer bullying! As amigas de ontem, são as vilãs de hoje… Qual é a “vitamina” necessária para ela suportar a dor e desespero de ser maltratada pelos próprios colegas de escola?

Comentarios

comentarios