Uma Canção Para a Libélula: Parte 1 – Juliana Daglio

440
“Às vezes o reflexo do Sol na água ofusca a vista, ou o verde da grama fica mais intenso, e, dependendo do meu humor, o lago nem sempre é tão azul. Mas na verdade, o que mais me intriga é que a Menina e a Libélula não têm cores.”

Uma canção para a libélula conta a história de Vanessa, uma jovem que esta embarcando em uma carreira promissora de pianista, morando em Londres com sua tia Lorena, tudo estava indo bem, até que seu pai tem um “quase” enfarto, deixando Vanessa preocupada, logo ele faz um pedido para Vanessa, para que ela volte a São Paulo para visitá-lo e passar um tempo com ele.

“Aquela moça representava uma parte de mim que eu nunca pudera ver do lado de fora. Eu era feliz quando estava com minha música. O restante do tempo eu não sabia.”

Com um passado terrível que a assombra, Vanessa decidi atender ao pedido do pai, com sua tia Lorena relutante querendo que ela fique em Londres e continue sua carreira, Vanessa está decidida a ir visitar seu pai e fará de tudo para deixar o passado aonde está; com términos e reencontros repentinos, logo Vanessa parte para São Paulo.

“O amor sempre foi supervalorizado e, para mim, isso beirava o ridículo.”

Ao chegar em São Paulo, Vanessa logo reencontra a pessoa que ela não queria ver tão cedo, sua mãe Valéria, com dias normais se passando, logo começamos a conhecer um pouco mais do passado de Vanessa e sua história com a Libélula; vemos a depressão chegar aos poucos, com vários acontecimentos e brigas durante a história, vemos como Vanessa vai se deixando levar pela doença e quão difícil é lidar com isso.

“Tem coisas que você simplesmente não quer saber sobre outras pessoas.”

Com um final chocante e com gostinho de “preciso ler a segunda parte”, vemos um final trágico para Vanessa, mas ao ver Nathan no final temos o alívio e a sensação de que tudo pode mudar para melhor, eu espero; posso dizer que shippo muito os dois, dês da primeira troca de olhares.

“Quem nunca espera nada de ninguém nunca fica desapontado.” 

Entrar nesse mundo da Vanessa e viver com ela os momentos tristes, foi tão perturbador e incrível ao mesmo tempo; depressão é um assunto muito complicado e fiquei muito feliz de ver um assunto tão complexo e real sendo contato nesta história, afinal muitas pessoas sofrem com isso ou já sofreram. Juliana Daglio conseguiu abordar o assunto perfeitamente nessa primeira parte do livro, algumas vezes me via no lugar de Vanessa, pois sei bem o que é ter depressão e é uma coisa que eu não desejo há ninguém; ver que o assunto não é só jogado no livro, como já vi em outros, o assunto é bem dominado e muito bem colocado, ver Vanessa sofrendo com aquilo e não aceitando o que tem, é tão doloroso, eu vivia aquele momento ruim na vida dela junto dela.

“A conquista dos fracos sempre parece maior.”

Sou apaixonada pela escrita da Juliana Daglio, além dela ser um amorzinho com a gente, conseguimos sentir todo o amor e carinho que ela depositou naquele livro que estamos lendo, o primeiro livro que li dela, foi o Lago Negro e me apaixonei demais; ela consegue transmitir aos seus leitores tudo que querem, conseguimos entrar na vida do personagem, sentir tudo que o mesmo está passando e isso é maravilhoso.

“Quando uma dor pede para levar embora suas lembranças ruins, ela leva também a parte boa. Arranca as raízes de tudo que você lembrava de ser. Foi isso que me aconteceu. A dor levou a parte boa de minha infância, e só deixou um vazio enegrecido para trás. Eu fora feliz em minha maneira silenciosa. Uma menina quieta e sensível que compunha músicas e não sabia como desenhar as partituras, tendo que aprender sozinha.”

  • Escrito por: Juliana Daglio;
  • Editora: Arwen;
  • ISBN: 978-85-68255-23-0;
  • Ano: 2015;
  • Páginas: 180;
  • Skoob: AQUI;

 

  • SINOPSE:

Era uma comum primavera numa fazenda qualquer, mas um encontro inusitado aconteceu: a Menina e a Libélula se viram pela primeira vez. Assombrada por um medo irracional da Morte, a Menina é marcada por esse encontro para o resto de sua vida. Compõe então uma canção em seu piano, homenageando a misteriosa libélula. Os anos se passaram, Vanessa vivia em Londres e tinha a vida cercada por seu iminente sucesso como pianista, porém, algo aconteceu, mudando seu destino: Uma doença, uma viagem e um reencontro. Vanessa precisará encarar fantasmas que sequer lembrava um dia terem assombrado sua vida, tendo de relembrar a morte do irmão e reviver seu conflito com a mãe. E mais importante e mortal, conhecer a grande antagonista de sua vida, a quem chama de Vilã Cinzenta…

 

Comentarios

comentarios