Thor: Ragnarok

201

No começo do filme já temos aquela introdução que mostra que só virá coisa boa pela frente; Thor começa narrando um pouco da trajetória de filmes anteriores da Marvel, faz piadas incríveis e nos dá a ação que tanto amamos. Thor: Ragnarok com certeza é o melhor filme da sequência de Thor, tendo dois primeiros filmes bem ruinzinhos, esse terceiro veio para surpreender a todos.

Dois anos após os acontecimentos de Vingadores – A Era de Ultron, Thor ainda tem visões com a queda de seu reino em Asgard, o mal conhecido como Ragnarok; ao retornar para Asgard, logo ele desmascara o irmão Loki, que havia se passado pelo seu pai Odin nos últimos anos; forçando Loki a levá-lo até Odin, os dois vão juntos para Nova York, aonde descobrem que o asilo onde estava Odin fora destruído.

Com a ajuda do Dr. Strange eles acham seu pai, mas Odin apenas se despede deixando um perigo para seus filhos e morre; com a morte de Odin o mal que ele aprisionava logo aparece, sua filha Hela, a Deusa da Morte. Hela se mostra a mais poderosa dentre os dois irmãos, destruindo até o mesmo o martelo de Thor, começando assim uma mais nova briga familiar; seu desejo é refazer Asgard à sua imagem. Ao tentarem voltar para Asgard, Thor e Loki acabam tendo uma luta com Hela, mas acabam sendo jogados distantes pelo universo, indo parar no mundo de Sakaar, que é comandado pelo Gão-mestre.

Para poder escapar do planeta de gladiadores, Thor terá que lutar contra o campeão, sem nem saber contra quem ia lutar, logo Thor aceita o desafio, mas ele não esperava lutar com um de seus antigos amigos, o sumido e incrível Hulk. Todo animado achando que vai se safar dessa luta, logo Hulk parte pra cima e Thor percebe que terá que lutar para valer.

Após “perder” a luta, Thor decidi fugir e voltar para Asgard, antes que Hela acabe com todos por lá, mas para isso ele precisará da ajuda de alguns novos e antigos amigos, Hulk, Loki e a Valkyrie (sabemos um pouco de seu passado graças a Loki).

Thor: Ragnarok consegue nos fazer ficar impressionados com tudo, os efeitos, as câmeras lentas, a trilha sonora, as referências e a comédia, que foi maravilhosamente inserida nesse universo que antes se via mais sombrio; com um filme mais colorido e cheio de vida (até Thor tira sarro disso), Thor: Ragnarok consegue te fazer sair satisfeito do cinema e ainda querendo mais depois da primeira cena pós-créditos (a segunda cena pós-créditos não faz muita diferença). Thor: Ragnarok arrecadou R$26 milhões em seu primeiro final de semana no Brasil, isso coloca o filme na lista de maiores aberturas da Marvel, atrás de Vingadores: Era de Ultron e Capitão América: Guerra Civil; contando com todas as estreias pelo mundo, o filme deve arrecadar mais de US$ 400 milhões nos mercados internacionais, até agora o filme arrecadou um total de US$ 109 milhões.

  • Lançamento: 26 de outubro de 2017;
  • Direção: Taika Waititi;
  • Gênero: Ação, Fantasia, Aventura;
  • Nacionalidade: EUA;
  • Elenco: Chris Hemsworth, Tom Hiddleston, Cate Blanchett, Idris Elba, Karl Urban, Jeff Goldblum, Tessa Thompson, Mark Ruffalo, Anthony Hopkins, Benedict Cumberbatch;

 

  • SINOPSE:

Thor está preso do outro lado do universo. Ele precisa correr contra o tempo para voltar a Asgard e parar Ragnarok, a destruição de seu mundo, que está nas mãos da poderosa e implacável vilã Hela.

 

  • TRAILER:

 

 

 

Comentarios

comentarios