Primeiro Amor – James Patterson e Emily Raymond

155

Eu costumo ser bem crítica quando se fala de livros de romance, costumo ler bastante livros desse gênero e ainda escrevo meus próprios livros, então quando eu te falar que amei um livro de romance você deve lê-lo! Foi a primeira vez que li um livro do autor James Patterson, e confesso que Primeiro Amor estava na lista de leitura há muito tempo e não esperava que eu fosse me apegar tanto ao livro. O livro é baseado em fatos reais, contando a história de Axi Moore e Robinson, dois adolescentes que decidem fugir juntos e correr riscos pelo país.

Axi Moore vive uma vida um pouco triste, após a morte de sua irmã mais nova, sua mãe decidi ir embora; Axi passa a viver apenas com o pai, que passa os dias bêbado no sofá. A única pessoa que Axi têm agora é Robinson, seu melhor e único amigo; Axi é uma leitora voraz e vive escrevendo em seu diário, sempre dá livros para Robinson ler, mas ele nunca lê, falando sempre com palavras difíceis que deixam ele às vezes confuso. Os dois criaram um grande vinculo dês que se conheceram no hospital de câncer, a irmã mais nova de Axi tinha câncer assim como ela, mas Axi conseguiu sobreviver e para continuar nesse mundo cruel ela encontrou forças em seu novo amigo Robinson que tinha um câncer mais raro que o dela; mesmo com muitas dificuldades enfrentadas, os dois conseguiram sair do hospital e voltar a ter uma vida normal, mas ainda não era suficiente para Axi.

Robinson é totalmente o oposto de Axi, um garoto carismático que não tá nem aí para a vida que leva, após deixar o hospital ele decidi ficar na cidade morando com seu tio, para ficar mais perto de Axi; os dois se tornam inseparáveis, tendo apenas um ao outro. Apesar de Axi ser bem certinha, ela que toma a atitude de abandonar tudo na pequena cidade e sair curtindo a vida pelo país com Robinson, o que deixa ele surpreso.

“Minha vida passou diante de meus olhos – minha vida pequena e triste. Bons ventos a levem!”

Axi e Robinson passam a se aventurar pelo país roubando carros e motos para poder se locomover, dormindo em lugares inusitados; um romance que vai te prender a cada página, te fazendo cair de amores pelas manias certinhas de Axi e pelo sorriso perfeito de Robinson, um amor realmente verdadeiro que vai te fazer sorrir e chorar. Eles souberam aproveitar cada momento que tiveram juntos e mesmo que o final seja trágico, o amor deles soube trazer a paz para ambos.

“O medo era energizante. Era aterrorizante e espantoso, e, se eu pensara que estava tendo um ataque cardíaco antes, eu definitivamente estava tendo um naquele momento.”

 

Primeiro Amor é um livro incrível e muito emocionante! A Culpa É das Estrelas de John Green, não chega aos pés desse livro (sorry John Green).

“Eu estava amando completamente, estonteantemente, empolgadamente, cada segundo.”

  • Escrito por: James Patterson e Emily Raymond;
  • Editora: Novo Conceito;
  • ISBN: 978-85-8163-390-9;
  • Ano: 2014;
  • Páginas: 240;
  • Skoob: AQUI;

 

  • SINOPSE:

Axi Moore é uma garota certinha, estudiosa, bem comportada e boa filha. Mas o que ela mais quer é fugir de tudo isso e deixar para trás as lembranças tristes de um lar despedaçado. A única pessoa em quem ela pode confiar é seu melhor amigo, Robinson. Ele é também o grande amor de sua vida, só que ainda não sabe disso. Quando Axi convida Robinson para fazer uma viagem pelo país, está quebrando as regras pela primeira vez. Uma jornada que parecia prometer apenas diversão e cumplicidade aos poucos transforma a vida dos dois jovens para sempre. De aventureiros, eles se tornam fugitivos. De amigos, se tornam namorados. Cada um deles, em silêncio, sabe que sua primeira viagem pode ser também a última, e Axi precisa aceitar que de certas coisas, como do destino, não há como fugir. Comovente e baseado na própria vida do autor, este livro mostra que, por mais puro e inocente que seja, o primeiro amor pode mudar o resto de nossas vidas.

 

  • QUOTES:
“Se esta viagem for um erro, será o melhor erro de nossas vidas.”
“Existe apenas o segredo que cada escritor descobre por si mesmo. Um caminho adiante.”
“Carpe Diem. O hoje, afinal, era tudo o que sabíamos ter.”
“Por mais louco que seja, eu amava isto em Robinson: como ele era capaz de acreditar em uma coisa em que, realmente, não acreditava. Faz sentido? Ele sabia o que desejava que fosse verdade, e, por um breve período, apenas por sua força de vontade (ou por seu humor, ou por sua esperança tola e pueril), aquilo se tornava verdade.”
“Você pode planejar sua fuga, pode abandonar sua vida e sua família, você pode acelerar por uma pista dupla em um carro roubado. Mas há certas coisas das quais você nunca poderá escapar. Coisas como o câncer. Porque ele vem junto com você.”
“Salvamos um ao outro, Robinson e eu. Ou, pelo menos, ele me salvou.”
“É possível amar alguém mais que a própria vida e, ainda assim, nunca saber, com certeza, tudo o que outro pensa?”
“Abri a boca, no entanto não consegui dizer nada. Eu era a escritora, a leitora. E agora, quando eu realmente precisava dizer coisas que queria dizer, tipo, desde sempre, as palavras me abandonaram.”
“E se fazer o que você quer e fazer o que é certo forem duas coisas completamente diferentes? E se, ao viver a vida que escolheu, você condenar a si próprio – ou, pior, alguém a quem você ama?”
“Não éramos capazes de conhecer o futuro ou saber quanto tempo ele ia durar. Podíamos apenas escolher ser felizes e viver o agora.”
“Observei o modo como nossos dedos se entrelaçaram e pensei: Para quê as mãos são feitas se não para isso? Para segurar. Para segurar firme.”
“O câncer é assustador, mas o amor é aterrorizante. E é. Mas também é empolgante, atordoante e milagroso.”
“A melhor coisa do mundo é saber pertencer a outra pessoa.”

 

Comentarios

comentarios